Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Assistência Social
Prefeitura de Biguaçu inaugura abrigo provisório para pessoas em situação de rua

Publicado em 03/06/2022 às 17:31 - Atualizado em 03/06/2022 às 18:00

Entrada dos acolhidos ocorrerá a partir das 19h
Créditos: Fernando Mendes Baixar Imagem

A Prefeitura de Biguaçu, por meio da Secretaria de Assistência Social e Habitação, abre a partir da noite desta sexta-feira, 3 de junho, um abrigo provisório para pessoas em situação de rua no município. No local, com capacidade para atendimento de até 20 pessoas, serão oferecidos materiais de higiene pessoal, banho, colchão, cobertores e alimentação.

 

A entrada dos acolhidos ocorrerá a partir das 19h e a permanência no local é até às 8h da manhã seguinte. Serão ofertadas por voluntários e instituições, duas refeições, jantar e café da manhã. A previsão é de que o abrigo funcione até o mês de agosto.

 

O início das atividades do abrigo provisório acontece após o estabelecimento de uma parceria entre o Executivo Municipal e o Instituto Amor Incondicional, coordenado pelo pastor Luiz Carlos Adalberto, que será o responsável pela gestão do espaço onde os acolhidos permanecerão.

 

O ingresso na casa se dará das seguintes formas: por iniciativa própria do acolhido ou por meio de abordagem ativa, realizada pelos membros do Instituto Amor Incondicional, pela equipe da Secretaria de Assistência Social e Habitação e através de ligações e mensagens para o número 48 98462-7015.

 

O abrigo está situado à Rua José Zeferino Souza, 235, bairro Praia João Rosa. O acesso ao local deve ocorrer pelos fundos do antigo Centro de Referência de Assistência Social. 

 

Abrigo Municipal Temporário

 

Além do ponto provisório, a Prefeitura mantém o Abrigo Municipal Temporário, localizado na Rua João Marcondes de Mattos, nº 128, bairro Centro. O espaço tem capacidade para atendimento de até 15 pessoas em período integral, sendo 12 vagas masculinas e três vagas femininas. São oferecidos para os acolhidos produtos de higiene pessoal, alimentação, roupas e local para dormir. O limite para permanência na casa é de até três meses.